SELEÇÃO BRASILEIRA

29 maio de 2019

Caçula da Seleção, Militão não gostava de futebol há cinco anos e hoje vale R$ 215 milhões

 

Por Alexandre Lozetti — Teresópolis, RJ

Você gostava de futebol em 2014? Aquele ano foi uma celebração para os apaixonados com a Copa do Mundo realizada no Brasil. Foi também quando Éder Militão começou a se encantar pelo jogo. Hoje, cinco anos depois, ele vai disputar a Copa América pela seleção brasileira e foi contratado pelo Real Madrid por R$ 215 milhões.

Parece roteiro de ficção sobre um garoto que, por acaso, realizou o sonho de milhões e milhões mundo afora. Mas é realidade. Tímido, de voz baixa, contraste com o zagueiro de 1,85m que impressionou Tite, Zidane, Rogério Ceni e outros grandes nomes do futebol por sua velocidade e fome de disputa, Militão se abriu numa das únicas entrevistas da vida.

Sim, porque o caçula da Seleção, aos 21 anos, aprendeu a gostar de futebol, mas continua com horror às câmeras, a ponto de preferir um mano a mano com Messi na final da Copa América.

– Eu não era muito ligado em futebol, comecei a ver há pouco tempo. Todo mundo fica surpreso porque eu não gostava de futebol. Meu negócio era pipa, andar de bicicleta, correr pela rua, futebol era a última coisa. Até meu pai falar que não acreditava. Nem eu mesmo. E quando é para ser, realmente acontece – revelou o zagueiro.

Quando era convencido pelos amigos a jogar peladas na rua, Militão pedia para ficar no gol. Era mais confortável para quem não curtia o jogo. Mesmo assim, ele acabou convencido a disputar um campeonato por uma escolinha de um amigo do pai.

Militão durante treino da seleção brasileira, na Granja Comary — Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Logo depois, esse amigo sugeriu um teste em Cotia, nas categorias de base do São Paulo.

– Ele disse que tinha um teste para eu fazer em Cotia, perguntou se eu podia ir. Meu pai também foi, mas eu fui sem expectativas. Se eu passasse ou não para mim seria a mesma coisa. Mas passei e fiquei surpreso. E assim foi indo. Eu não era movido pelo futebol. Comecei mesmo a ter gosto no São Paulo, com 16, 17 anos.

Em menos de dois anos, Militão foi promovido ao time principal do São Paulo, virou titular, teve seus direitos vendidos ao Porto e depois ao Real Madrid, e ganhou uma vaga na Seleção. Escolhido para ser um dos entrevistados do dia ao lado de Gabriel Jesus e Allan, pediu a Vinicius Rodrigues, assessor de imprensa da CBF, para não ir.

Não teve jeito. Ele entende que esse momento fará parte da rotina que ele, agora um amante da bola, pretende seguir: a de astro do futebol mundial.

A menos de dois meses de se apresentar ao Real Madrid, Militão será treinado por um comandante que só conhece por vídeos. Além de ser muito jovem, ele, vale repetir, não ligava para futebol a ponto de acompanhar a carreira de Zinedine Zidane.

– Comecei a ver (futebol) há pouco tempo, mas por vídeos, pelo que o pessoal fala, ele é sensacional. E o Casemiro (volante da Seleção e do Real Madrid) também fala que como técnico é top.

https://globoesporte.globo.com/futebol/selecao-brasileira/noticia/cacula-da-selecao-militao-nao-gostava-de-futebol-ha-cinco-anos-e-hoje-vale-r-215-milhoes.ghtml